Palavra do Dia – 9 de Julho – Mt 9,32-38

“Naquele tempo, apresentaram a Jesus um homem mudo que estava possuído pelo demônio. Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar. As multidões ficaram admiradas e diziam: ‘Nunca se viu coisa igual em Israel’. Os fariseus porém diziam: ‘É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios’” (Mt 9,32-38).

Continua após a publicidade..

Queridos irmãos e irmãs, um homem mudo estava possuído pelo demônio. Logo que o demônio foi expulso, o homem começou a falar. Essas informações são importantes, porque, além da impossibilidade de falar, aquele homem sofria a opressão demoníaca para que permanecesse para sempre daquele jeito.

Existe um transtorno que se chama mutismo seletivo, não sei se já ouviu falar sobre isso. É a incapacidade que a pessoa tem de abrir-se com determinadas pessoas ou em determinados contextos. O chamado mutismo seletivo. Eu não estou me referindo aqui à questão da mudez física, tá? Que fique bem claro. Isso é uma outra coisa. Eu me refiro àquela incapacidade de se abrir, de contar certos dramas, de partilhar alguns fatos com alguma pessoa que seja de confiança.

Quando a alma se cala

Pior que as coisas que fazemos ou as experiências que vivemos, é não conseguir dividir isso com alguém. Pior do que o pecado que nós cometemos, é nos aprisionarmos dentro de nós mesmos e não conseguirmos compartilhar a nossa dor com uma outra pessoa. E é aí que o mal se aproveita e gera na pessoa uma sensação de culpa, de indignidade, de não poder ser nunca perdoada por aquilo que fez, de vergonha por aquilo que aconteceu. Tudo isso se torna uma prisão diabólica, em que o demônio prende a pessoa dentro de si mesma, gerando cada vez mais solidão e vazio.

Jesus chega para pôr fim a tudo isso. Para nos ajudar a sair de nós mesmos, dos nossos fechamentos e verbalizar aquilo que sentimos, para nos libertar da opressão do mal. Como é importante criarmos esses espaços de abertura e de diálogo, onde as pessoas possam dizer aquilo que elas sentem com liberdade! Como é importante esses espaços dentro da família, no ambiente de trabalho, nas nossas comunidades! Como é importante encontrar um irmão de comunidade, um irmão de caminhada, em quem nós podemos confiar as nossas misérias! Que o Senhor providencie para nós tudo isso.

Que DEUS abençoe!!!