Na esperança da ressurreição em Cristo – Mc 12,18-27

“Quanto ao fato da ressurreição dos mortos, não lestes no livro de Moisés, na passagem da sarça ardente, como Deus lhe falou: Eu sou o Deus de Abraão, Deus de Isaac e o Deus de Jacó? Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos. Vós estais muito enganados” (Mc 12,18-27).

Continua após a publicidade..

Amados irmãos e irmãs, hoje, Jesus toca em algo profundo, que é a Sua ressurreição. Nós passamos todo o tempo pascal firmados na esperança da ressurreição dos mortos, na vida eterna. No entanto, meus irmãos, os saduceus não acreditavam nisso. Então, para eles, era algo incompreensível. Por quê? Mais uma vez, por causa da dureza do coração,  do fechamento à vontade de Deus e da aceitação da Sua vontade.

Hoje, comemoramos São Bonifácio, que, dentro dessa liturgia, vem nos falar algo muito importante, a ressurreição dos mortos, que é possível por que Deus é o Deus da vida. Nós acreditamos que a palavra do Senhor, que você recebe agora por meio desta homilia, é a palavra de vida eterna. Claro que, nesta passagem, Jesus está falando justamente da ressurreição da carne, onde nós vamos estar unidos a Ele um dia, porque Jesus já ressuscitou, está junto do Pai e nós ainda iremos passar por esse processo.

Quero também trazer a força da palavra que pode ressuscitar cada um de nós para uma vida nova. Cristo morreu na cruz para nos oferecer algo que nos leve para perto de Deus, é Ele quem nos dá uma vida nova.

A promessa da ressurreição é a esperança cristã

Deus nos criou para estarmos sempre com Ele, por isso a ressurreição precisa estar dentro do horizonte cristão como uma esperança. Como nós vamos nos unir a Deus, um dia, pela ressurreição dos mortos? Essa vida que esperamos não é repetição da vida atual que nós estamos vivendo. Tudo será transformado! O nosso corpo será renovado, transformado e teremos um corpo glorioso. Teremos um corpo semelhante ao de Jesus pela ressurreição.

Mas para isso, meus irmãos, precisamos ter uma fé convicta de que, um dia, ressuscitaremos com Cristo. Paulo mesmo nos fala: “Se, portanto, ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas do alto”. Quem vive a ressurreição de forma plena, olha para o alto. Por que não foi assim que aconteceu com Jesus quando Ele ascendeu aos céus? Então, sobe para o alto, vai para o alto. Até redundante falar isso, né? Subir para o alto, porque é justamente isso. E Jesus quer nos dar essa garantia: onde não haverá mais as limitações deste mundo terreno.

A limitação da dor, da enfermidade, da morte. Tudo isso será transformado e a vida humana será elevada à perfeição e à plenitude, quando já não terá sentido muitas coisas deste mundo. Que Jesus nos dê a graça de buscarmos, de forma consciente, o nosso lugar, que é a vida eterna junto de Deus. Que Ele nos fortaleça nesta caminhada e nos dê a força para não desanimarmos nem retrocedermos naquilo que acreditamos: a ressurreição dos mortos, a vida eterna.

Que Deus te abençoe, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!